7 Motivos para NÃO Morar nos EUA

by

Olá meus amores, apesar dos Estados Unidos ser um ótimo país para se morar, nem tudo são flores. Existem algumas dificuldades a serem enfrentadas por todo imigrante. Abaixo um resumo de entrevistas que fiz com imigrantes brasileiros que se mudaram para os EUA e subestimaram as dificuldades que enfrentariam. Infelizmente, alguns acabaram desistindo do sonho de imigrar e voltando para o Brasil. Por isso, considere esses pontos antes de tomar sua decisão:

 

  1. Dificuldade de Legalização:

Em primeiríssimo lugar, Dificuldade de Legalização. Nem todos sabem, mas para morar nos EUA você precisa de um visto de residência. Esse visto pode ser permanente, no caso o Green Card ou temporário, como o F-1 (para estudantes), o L-1 (para Executivos Transferidos de Empresas), o E-2 (para Investidores com cidadania de países signatários do Acordo de Comércio) e outros. Cada visto vai ter um conjunto de exigências que você deve cumprir e nem sempre é fácil atender a todas elas. Muitas pessoas se arriscam a ficar no país ilegalmente, mas passam a ter problemas para tirar carteira de motorista, para conseguir trabalho formal e até para se locomover. Na minha opinião, não vale a pena ficar ilegal no país, mas essa é apenas a minha opinião. Cada um sabe o que é melhor para si. Minha ideia é apenas te alertar para essa dificuldade, não desestimulá-lo de buscar seu sonho. Quero que você faça uma escolha sóbria e segura.

 

  1. Retrocesso na Carreira:

Em segundo lugar, vale lembra que muita gente perderá o histórico profissional e talvez não consiga trabalhar na própria profissão, pois os diplomas do Brasil não são reconhecidos nos EUA sem que você faça um período de estudos complementar para convalidar seu diploma. Esse é o caso de Médicos, Engenheiros, Advogados etc… Nesses casos, as pessoas têm de abrir mão de suas carreiras e recomeçar numa nova atividade. Isso pode ser fácil ou difícil, pode ser bom ou ruim. Depende da história de cada um.

 

  1. Dificuldade com Idioma:

Quem não domina o Idioma, pode sentir uma certa dificuldade de adaptação. Porque agora você sai do circuito turístico onde todo mundo se vira para falar tua língua e passa a ter interfaces criadas POR americanos PARA americanos. Como é o caso, do IRS (Receita Federal), do Social Security (Assistência Social), da Escola dos filhos e até dos órgãos municipais como o DMV (Detran) e o Tax Collector (Prefeitura, onde se tira licenças e paga taxas municipais). Quanto maior for o desafio profissional, maior será o nível de inglês exigido do imigrante, ou seja, para aceitar um emprego de ponta; ou ingressar num curso superior, por exemplo, serão exigidos um nível de inglês avançado e até certificações como o TOEFEL.

  1. Sistema Saúde Privado:

Essa é uma grande diferença para o Brasil e países da Europa. Nos EUA a saúde não é gratuita. Todos devem ter um plano de saúde privado. Note que o atendimento de URGÊNCIA é universal, ou seja, se você sofre um acidente, tem um ataque do coração, quebra um braço… pode correr para um hospital que será prontamente atendido. Mas, sairá com uma conta para pagar. Se você não tem Seguro Saúde, receberá um desconto e poderá parcelar de acordo com sua capacidade de pagamento, mas raramente terá sua dívida perdoada. Se não pagar as parcelas, pode ficar com o nome negativado e ter dificuldades para obter crédito. Os residentes americanos (cidadãos e Green Card) de baixa renda, podem ter o Medicaid que é um plano de saúde do Governo Federal que paga a maior parte das despesas médicas. Também existe um outro programa do Governo Federal, chamado Medicare, que é um Seguro Médico para pessoas com mais de 65 anos, inválidos ou pacientes crônicos. Em ambos os casos, só atendem cidadãos americanos ou portadores de Green Card.

 

  1. Discriminação e Preconceito:

Talvez esse seja o tópico mais difícil de falar. Eu mesma nunca me senti discriminada nos EUA, mas eu moro em Orlando que é uma cidade com forte presença de latinos e muitos brasileiros. Orlando também é uma cidade turística que recebe pessoas do mundo todo, então a diversidade cultural aqui é muito grande e, por isso, acho que o problema aqui seja menor. Mas eu tenho vários amigos que já viveram em Estados e Cidades mais conservadores e relatam que foram muito discriminados em várias situações. Os motivos são muitos, desde ser parado pela polícia sem motivo, só pela aparência… por não saber falar fluentemente o inglês… ou por acharem que estão tomando emprego dos americanos. Eu sou absolutamente conta qualquer forma de discriminação, acho um absurdo que uma pessoa seja julgada pela sua cor, raça, gênero, origem ou qualquer outro atributo, mas infelizmente, nem todos pensam como eu.

 

  1. Clima FRIO (Norte):

2/3 dos EUA tem um clima bastante severo, bem mais frio do que temos no Brasil. Morar em lugares frios é um grande desafio. Eu sempre quis ver neve, acho muito lindo tudo branquinho. Mas, experimente ficar mais que 3 dias num lugar FRIO. Realmente frio: 10 graus abaixo de zero. O frio é cortante. Congela até a alma. Você gasta 30 minutos pra se vestir e sair na rua, depois gasta mais 30 minutos pra tirar tudo aquilo e entrar no escritório. Quando vem as nevascas, as cidades param. As aulas são suspensas. O risco de acidentes de trânsito aumenta muito. Então, para evitar problemas, você fica em casa. Sem ver o sol. Isso é deprimente para muita gente. Para piorar, as leis municipais, obrigam que você mantenha a sua calçada limpa, isso quer dizer que você deve retirar a neve toda manhã. Realmente não é fácil. Claro que você pode eliminar esse problema, se escolher morar nos estados do Sul, como Flórida, Geórgia, Texas e Sul da Califórnia, entre outros.

 

  1. Individualismo e Rigor das Normas Sociais:

Sabe aquele ditado “Seu direito termina, onde começa o direito do outro”? Nós sempre ouvimos, mas quase nunca respeitamos isso no Brasil. Aqui nos EUA essa é uma das regras levadas a ferro e fogo. TODOS, sem exceção, se incomodam se você ultrapassar alguns limites ou desrespeitar regras de convivência social, como: furar fila, estacionar em vaga de deficiente, jogar lixo na rua, falar alto em público etc. Exemplo: Se você estiver em casa fazendo uma festa com amigos e o som alto incomodar o vizinho, ele simplesmente chamará a polícia, que chegará em 10 minutos e fará você desligar o som. POXA! Eu não estou fazendo nada de errado, apenas estou me divertindo com amigos, NA MINHA CASA. Pois é. Para ele, você extrapolou os limites da sua casa, quando o som que ele não quer ouvir entrou na casa dele. Para a polícia, ele estará certo – e você estará errado. Se você não estiver preparado para esse tipo de comportamento, poderá ficar magoado com muita gente, achando que eles não gostam de você, mas não é isso. Os americanos apenas são criados nesse modelo onde o espaço individual de cada um é sagrado e até as regras mais simples existem para serem cumpridas.

No Comments Yet.

What do you think?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *